Proteção da ereção: A prevenção da disfunção erétil (ED) é possível?

Proteção da ereção: A prevenção da disfunção erétil (ED) é possível?

Qual é o prognóstico para a disfunção erétil?
Os tratamentos para disfunção erétil tendem a ter sucesso em retornar o paciente a uma vida sexual ativa.

A relação entre disfunção erétil e doença cardíaca precisa ser enfatizada. A disfunção erétil é um importante fator de risco para ataque cardíaco , derrame e morte. Os mesmos fatores de risco que podem levar a artérias estreitas no pênis são os mesmos que diminuem o fornecimento de sangue ao coração e ao cérebro. Modificação do estilo de vida para parar de fumar e controlar a pressão alta , colesterol alto e diabetes não só pode ajudar a tratar a impotência, mas também pode diminuir o risco de morte prematura por ataque cardíaco e derrame .

Leia também: Impotência sexual masculina e feminina

A disfunção erétil pode ser prevenida?
Como a doença vascular periférica geralmente é a causa da disfunção erétil, os mesmos fatores de risco associados a ataques cardíacos e derrames cerebrais podem causar estreitamento das artérias que suprem o pênis. A prevenção requer uma atenção ao longo da vida e controle da hipertensão arterial , diabetes e colesterol alto . Parar de fumar , perda de peso e exercícios regulares também ajudarão a manter a função sexual.

Proteja sua ereção: alimentos que podem causar disfunção erétil

Proteja sua ereção: alimentos que podem causar disfunção erétil

Por que a disfunção erétil acontece?
A disfunção erétil é uma condição muito comum. Estima-se que 50% de todos os homens com idades entre 40 e 70 anos o tenham em diferentes gravidades. As causas podem ser físicas e psicológicas. O primeiro é causado pelo estreitamento dos vasos sanguíneos que levam ao pênis e é mais comumente ligado à pressão alta, colesterol alto, diabetes, problemas hormonais e lesões ou cirurgia. Causas psicológicas podem incluir doenças mentais, como ansiedade e depressão. Problemas de relacionamento também podem afetar a disfunção erétil.

Sua dieta pode afetar a disfunção erétil?
Certas escolhas alimentares podem certamente aumentar o risco de os homens terem disfunção erétil.
Certas escolhas alimentares podem certamente aumentar o risco de os homens terem disfunção erétil. Como a disfunção erétil é um problema relacionado ao fluxo sanguíneo, seus vasos sangüíneos precisam estar em boa saúde, portanto, ao ingerir alimentos saudáveis, reduz o risco de problemas vasculares comuns causados ​​por colesterol alto, açúcar elevado no sangue, altos níveis de triglicérides e obesidade.

Hábitos de vida saudáveis, como aqueles recomendados para prevenir doenças cardíacas, são úteis para prevenir a disfunção erétil. Comer a quantidade recomendada de frutas, legumes e produtos de grãos integrais são todos os alimentos que podem fornecer um risco reduzido de disfunção erétil. Tente limitar a ingestão de carne vermelha, laticínios integrais, alimentos açucarados ou bebidas e alimentos com gorduras excessivamente insalubres. Uma dieta mediterrânea, em particular, tem sido associada a uma menor prevalência de disfunção erétil. Garantir que você pratica regularmente também pode ajudar a evitar isso.

O consumo excessivo de álcool também pode aumentar o risco de um homem ter disfunção erétil e piorar a situação. Se você bebe regularmente e tem disfunção erétil, tente reduzir o consumo ou desista para ver se isso ajuda.

Depois de mudar sua dieta, quanto tempo leva para ver uma mudança?
Ver uma mudança depois de alterar sua dieta é inteiramente baseado no indivíduo. A gravidade da disfunção erétil antes de mudar sua dieta e outros problemas de saúde importantes afetará isso. Se você não vir uma mudança, talvez considere outros fatores relacionados ao estilo de vida que também possam estar afetando a situação, como tabagismo, consumo excessivo de álcool ou uso de drogas. Marque uma consulta com seu médico para discutir outros métodos.

Leia também: Estimulante sexual masculino qual é o melhor

É importante notar que a disfunção erétil pode ser um sinal de uma condição subjacente ou problema de saúde. Se continuar a ter disfunção eréctil depois de ter efectuado alterações à sua dieta, não seria prejudicial marcar uma consulta com o seu médico de família ou receber uma avaliação ED gratuita do LloydsPharmacy Online Doctor. Nossos médicos poderão investigar o que está causando sua disfunção erétil e oferecer o melhor tratamento disponível para você.

Para saber mais sobre o BMI Healthcare, leia as 10 dicas para evitar a impotência masculina ou, alternativamente, você pode fazer uma consulta on-line e um membro da equipe do BMI Healthcare entrará em contato.

Fonte: https://www.valpopular.com/estimulante-sexual-masculino-qual-e-o-melhor/

Conheça os riscos de tomar remédio para impotência sexual!

Conheça os riscos de tomar remédio para impotência sexual!

Os remédios para impotência têm facilitado a vida da população masculina. Com o surgimento de pílulas como Viagra, muitos homens começaram a falar sobre o problema e passaram a ter uma chance de melhorar sua vida sexual. No entanto, algumas pessoas estão tomando esse tipo de medicamento de forma recreativa, apenas para garantir um bom desempenho sexual. Tomar remédio para impotência sexual sem ter nenhum problema pode ser perigoso. Vou explicar o porquê neste artigo. Confira!

impotência sexual
O que é impotência sexual?
Medicamento para impotência sexual
Mudanças no uso do medicamento para impotência sexual
Riscos do uso recreativo dos medicamentos contra impotência sexual
Dicas para evitar a impotência sexual
Não arrisque!
O que é impotência sexual?
Disfunção erétil ou impotência sexual é a incapacidade permanente de obter ou de manter uma ereção rígida o suficiente para uma relação sexual satisfatória. Ela pode ser causada por diversos fatores, incluindo:

Distúrbios psicológicos;
Doenças hormonais (diabetes, queda de testosterona, problemas endócrinos);
Doenças neurológicas (lesões na medula, mal de Alzheimer e Parkinson);
Doenças vasculares, que causam entupimento das artérias e veias, prejudicando a chegada do sangue ao pênis (hipertensão arterial, aterosclerose);
Consumo excessivo de medicamentos;
Cirurgias pélvicas;
Doença de Peyronie ou fibrose dos corpos cavernosos;
Alcoolismo e tabagismo
O remédio para impotência sexual aumenta os níveis de óxido nítrico no sangue. O óxido nítrico é um vasodilatador, o que significa que aumenta os vasos sanguíneos para ajudar a aumentar o fluxo de sangue. Essas drogas são especialmente eficazes para ampliar os vasos sanguíneos no pênis. O alto volume de sangue torna muito mais fácil obter e manter uma ereção quando se está sexualmente excitado.

Mudanças no uso do medicamento para impotência sexual
Os homens têm se voltado para a pequena pílula azul para tratar a disfunção erétil por quase 20 anos. Desde que o Viagra entrou em cena pela primeira vez, em 1998, o número de homens diagnosticados com disfunção erétil subiu cerca de 250%. Inicialmente, foi proposto como um remédio para combater a disfunção erétil em homens entre 40 e 70 anos, ou seja, 24% do público masculino.

Mais jovens comprando
Com o passar do tempo, o público consumidor do medicamento para impotência sexual mudou. Cada vez mais jovens homens, sem nenhum problema de ereção, o consomem para o lazer, para garantir uma ereção duradoura de modo a impressionar a parceira.

Uma pesquisa publicada na revista Archives of Sexual Behaviour revelou que 4% dos homens em idade universitária admitiram usar remédios para disfunção erétil de forma recreativa. A maioria deles combinou os remédios com outras drogas e tiveram comportamentos sexuais de risco. Alguns homens que não têm disfunção erétil, mas usam o Viagra, também podem se tornar psicologicamente dependentes do medicamento e depender dele para ter uma ereção.

Saiba mais: Prime Male comprar

remédio para impotência sexual
Riscos do uso recreativo dos medicamentos para impotência sexual
1. O medicamento para impotência sexual pode ter efeitos colaterais graves e contra-indicações
Como qualquer tipo de remédio, as pílulas para disfunção erétil podem ter alguns efeitos colaterais:

Efeitos colaterais leves: são muito comuns e incluem dor de cabeça, rubor, dor de estômago, visão embaçada, congestão nasal, dor muscular, náusea, tontura, erupções cutâneas…
Efeitos colaterais graves: são raros, mas foram descritos em alguns pacientes. Perda repentina de audição ou visão, uma ereção prolongada e dolorosa, ou mesmo morte por ataque cardíaco em pacientes com problemas cardíacos.
Os efeitos colaterais graves podem ocorrer com maior frequência se os medicamentos forem misturados com drogas projetadas, como a cetamina e o nitrito de amila. Uma pesquisa de 2011 sobre o uso recreativo do medicamento para impotência sexual publicada no Archives of Sexual Behavior, mostrou que 4% dos homens admitiram usar pílulas como viagra. A maioria deles misturou-os com drogas ilegais. Essa mistura é extremamente perigosa e pode ser fatal.

A principal contra-indicação é a combinação das pílulas com nitratos, medicamentos prescritos para a angina. Sua combinação pode produzir uma queda súbita da pressão arterial e até mesmo morte. Eles também são contra-indicados quando o risco cardiovascular é alto, mesmo que a pessoa não esteja tomando nitratos. Portanto, todo médico avalia esse risco antes de prescrever medicamentos contra impotência sexual. Se houver suspeita de alto risco cardiovascular, recomenda-se uma consulta especializada com o cardiologista para garantir que a atividade sexual e a medicação sejam seguras.

2. Pode diminuir sua autoconfiança a longo prazo
O Journal of Sexual Medicine realizou um estudo para investigar o uso recreativo do medicamento para impotência sexual. Descobriu-se que as pessoas que o consumiam tinham menos confiança em suas ereções e menos satisfação geral em comparação com outro grupo que não o fez. Ambos os grupos tinham níveis de função erétil iguais, de acordo com um questionário internacional de disfunção erétil (IIEF). A conclusão foi que o uso frequente desse tipo de medicamento foi associado com menor confiança na obtenção de ereções.

A redução da autoconfiança pode produzir uma dependência de longo prazo das drogas e causar impotência quando elas não são tomadas. E isso pode significar ter que usar tratamentos mais agressivos no futuro, como injeções penianas ou protéticas.

3. A disfunção erétil temporária pode se tornar permanente
De acordo com estudos, cerca 50% dos homens tiveram ou terão disfunção erétil temporária no futuro. Se for um episódio isolado, e não uma impotência consistente e bem estabelecida, o medicamento para impotência sexual não deve ser usado. Se você fizer isso sem recomendação médica, poderá transformar sua disfunção erétil temporária em um problema crônico, perpetuando sua falta de confiança.

Na maioria dos casos não há causas orgânicas para o “gatilho” que causa a impotência. Ela pode ocorrer devido a um problema de ansiedade, humor, fadiga após exercício físico intenso ou consumo de álcool e drogas. Ou seja, são coisas que podem ser resolvidas sem o uso de medicamentos. Se os “gatilhos” foram frequentes, consulte o seu médico.

4. Muitos dos medicamentos que são vendidos na Internet ou no mercado negro são falsos
Muitos dos medicamentos contra impotência que são vendidos online são falsos e têm muito menos ingrediente ativo do que a pílula autêntica. Em um estudo que analisou pílulas vendidas em 22 sites diferentes, constatou-se que 77% das amostras eram falsas e continham apenas entre 30% e 50% dos níveis de ingrediente ativo anunciado no rótulo.

Um estudo publicado na revista Current Drug Abuse Opinions mostrou que a principal razão para o abuso desse tipo de medicamento é o fácil acesso a eles. Hoje em dia o mercado negro é acessível a todos e não apenas em websites. As pílulas contra impotência sexual estão atualmente disponíveis em todas as sex shops do mundo. E, claro, a sua venda é sempre feita sem supervisão médica.

5. No mercado negro, os medicamentos podem ser ineficazes e perigosos
Na maioria das vezes, as pílulas vendidas no mercado negro são produzidas sem garantia, com substâncias não autorizadas, de baixa qualidade, contaminadas ou vencidas. Elas são fabricadas em sigilo, sem medidas de controle sobre seus ingredientes ou o processo de fabricação. Não há garantia em termos de qualidade, segurança e eficácia e, portanto, representam um risco imprevisível para a saúde.

remédio para impotência sexual
Dicas para evitar a impotência sexual
Mantenha um peso saudável
Perder peso ou manter um peso corporal saudável é extremamente importante para a aptidão cardiovascular geral e para a saúde erétil. O pênis é um órgão vascular, por isso precisa de um bom fluxo sanguíneo para funcionar bem. A falta de fluxo sanguíneo ao longo do tempo pode causar danos que podem levar à disfunção erétil. A diabetes, que está intimamente associado com excesso de peso ou obesidade, também pode levar a danos nos nervos do pênis.

Exercício
Mesmo que você já tenha um peso saudável, o exercício pode ajudar ainda mais a melhorar seu desempenho sexual. Vários estudos abrem uma nova janela. Mostram que, mesmo entre homens saudáveis, aqueles que se exercitam têm menos risco de desenvolver disfunção erétil em comparação com aqueles que são sedentários. Exercícios também melhoram a libido e seu humor geral, os quais podem contribuir para uma vida sexual satisfatória.

Coma direito
Os homens que estão preocupados com a disfunção erétil devem se concentrar em uma dieta que seja boa para o coração, porque o sistema circulatório é uma parte importante do funcionamento erétil. Isso significa que comer muitas frutas e vegetais, evitando ao mesmo tempo muita gordura, proteína animal, sal e açúcar é a escolha inteligente.

Dormir
Os especialistas ainda não sabem ao certo porque estão associados, mas a privação do sono pode ter um efeito muito negativo sobre as ereções (além de simplesmente estar muito cansado para o sexo). Muitas vezes os médicos recomendam às pessoas idosas que estão tendo disfunção erétil leve, fazer sexo durante a hora do dia em que estão mais descansadas. Para a maioria, isso significa ter sexo pela manhã.

Evitar o estresse
Está comprovado que o estresse pode ter um impacto sério na vida sexual de uma pessoa. O mesmo acontece com o funcionamento erétil. Estresse em casa, no trabalho, no relacionamento, todas essas coisas podem contribuir para a disfunção erétil. Ele pode causar problemas de ereção tanto nos jovens quanto nos idosos. Pode até ser parte da razão pela qual um número maior de homens mais jovens se queixam de problemas de ereção. Embora muitos se voltem para as drogas para tratar a disfunção erétil, meditação, ioga e massagem também podem ser usados ​​para tratá-la. Isso porque é muito comum a disfunção erétil ter uma causa psicológica e não física, quando ocorre em homens mais jovens.

Não use anabolizantes
O uso de esteróides pode levar à infertilidade, redução da contagem de espermatozóides, e eles podem realmente atrapalhar os níveis naturais de testosterona de uma pessoa. Isso pode causar uma disfunção erétil. Para a maioria dos homens, leva de 3 a 12 meses para recuperar a contagem de espermatozóides após a retirada dos esteróides, mas o dano causado depende de quanto da droga foi tomada e por quanto tempo.

Diminua o consumo de álcool
O álcool pode ter um efeito enorme no desempenho sexual. Ainda assim, quando ingerido com moderação não deve causar danos permanentes. O abuso de álcool, no entanto, pode levar a problemas no fígado e danos nos nervos, o que também pode causar disfunção erétil.

Pare de fumar
Fumar é terrível para a saúde erétil. O tabagismo pode danificar os menores vasos sanguíneos do seu corpo e são exatamente do tipo que estão envolvidos na geração e manutenção das ereções. E a nicotina faz com que os vasos sanguíneos se contraiam, o que pode dificultar o fluxo sanguíneo para o pênis.

cigarro impotência
Não arrisque
Muitos homens associam o medicamento para impotência sexual com a melhora de suas relações sexuais. No entanto, as pílulas azuis não os tornam amantes melhores ou mais talentosos, e sim o contrário. Eles acabam associando o consumo da pílula ao momento de ter relações sexuais e ao orgasmo. Eles se tornam escravos da rotina, deixando de lado a magia, a espontaneidade e a improvisação de uma relação sexual. Por isso, homens, não arrisquem! As mulheres preferem o esforço de vocês do que uma sessão de sexo prolongada, mas sem tesão, influenciada por um medicamento.

O pênis pequeno pode estar ligado a doenças

O tamanho do pênis sempre foi um assunto de grande interesse e debate entre muitas pessoas, homens ou mulheres. O tamanho do pênis tem sido historicamente associado à masculinidade, então a mera possibilidade de uma diminuição no tamanho causada por qualquer doença causa enorme sofrimento para a família, para a criança ou para o homem que já está entrando na vida. adolescentes.

Existem vários estudos em vários países sobre o tamanho normal do pênis. Esses estudos apresentam algumas variações que dificultam a comparação. Um estudo recente publicado em janeiro de 2014 na revista Sexual Medicine ( Jornal de Medicina Sexual ) realizado com 1661 homens mostrou que o tamanho ereto médio do pênis era de 14,1 cm, enquanto o diâmetro era de 12,2 cm.

Se você tem pênis pequeno nós aqui no blog te aconselhamos a conhecer o estimulante sexual masculino Big Size.

O tamanho não tem um relacionamento direto com a função. Portanto, pequenas variações de tamanho não causam qualquer alteração na micção ou na função sexual. Outro encurtamento da mão associado à disfunção sexual é dor, perda de ereção ou tortuosidade, deve ser relatado ao médico.

A ideia de que quanto maior o tamanho do pênis é a masculinidade ou a capacidade de proporcionar satisfação às mulheres, isso é totalmente falso. É importante lembrar que a região de maior sensibilidade da vagina é a parte proximal, sendo de fácil acesso durante o sexo, não necessitando de penetração profunda. Durante a relação sexual, a vagina aumenta rapidamente seu comprimento inicial após a inserção em cerca de 10 a 14 cm, com total compatibilidade com o pênis ereto.

O principal problema decorrente do pênis com altura reduzida é a relação negativa do impacto psicológico com perda de confiança e geração de ansiedade que leva à baixa autoestima que pode afetar diretamente a relação e o desempenho sexual do homem. Estes casos devem receber aconselhamento precoce e especializado.

Quando é um pênis pequeno um problema de saúde?

Em algumas situações, pode haver uma redução no tamanho do pênis. A doença de Peyronie é uma doença adquirida que afeta a dor causando albuginea, disfunção sexual, disfunção erétil, curvatura do pênis e, portanto, encurtar.

Outras condições adquiridas que podem causar encurtamento do pênis é a obesidade, muito comum no envelhecimento, principalmente quando leva ao acúmulo de gordura na região pré-púbica, que, de certo modo, inlays a haste do pênis. Cirurgia para correção de estenoses uretrais e após cirurgia para câncer de próstata (prostatectomia radical) também pode causar encurtamento do pênis.

Os distúrbios que ocorrem com a redução do tamanho do pênis são felizmente raros. As situações que merecem atenção são os micropênis. Um problema que afeta cerca de um homem em 200 tem um micropênis, cujo comprimento quando esticado flácido não é superior a 2,5 centímetros, os desvios padrão abaixo do tamanho médio para a faixa etária mas funcional. As principais causas de micropênis são problemas hormonais, como defeitos hipotalâmicos, deficiência de gonadotrofinas e hormônio do crescimento, insensibilidade androgênica e síndromes genéticas.

Felizmente, o micropênis é facilmente identificado por seus pais na infância. Neste ponto, o pediatra é o primeiro médico a ser comunicado. Portanto, abra uma investigação que possa se estender a outros profissionais de saúde, como endocrinologistas, psicólogos e urologistas, dependendo da complexidade do caso.

Todos os hormônios que interferem no ciclo androgênico podem influenciar o tamanho e o desempenho sexual dos seres humanos. Os esteróides anabolizantes são hormônios sintéticos androgênicos que imitam o hormônio testosterona. Eles têm dois efeitos básicos: o efeito androgênico que ativa as características masculinas, como a mudança da voz, o aumento do pênis e o crescimento do cabelo; e o efeito anabólico que atua no controle da gordura, aumenta a massa e a força muscular.

Cuidados para quem esta sofrendo com problemas sexuais

Tratamentos médicos

Se essas soluções naturais não se mostrarem eficazes, consulte um médico que possa ajudá-lo a determinar qual solução médica melhor se adequará. Eles serão capazes de explicar os riscos e benefícios de cada um desses tratamentos e irão considerar suas preferências e histórico médico. Considere também a opinião do seu parceiro. Porque a sua compreensão e apoio irão garantir a sua eficácia.

Tratamentos orais

Medicamentos orais são um tratamento eficaz para a disfunção erétil em muitos homens.

Existem soluções que não exigem prescrição médica. Este é o caso de pílulas como Male Extra, que impedem ereções suaves. E até mesmo agir como um poderoso afrodisíaco.

Você também pode recorrer ao tratamento disponível apenas sob prescrição médica . Os mais conhecidos são o Viagra, o Cialis e o Levitra. Composto por um ingrediente ativo potente que vai jogar em seu óxido nítrico, eles irão ajudá-lo a relaxar os músculos do seu pênis. Mas também para promover o influxo de sangue para o seu sexo. Tenha cuidado, porém, como eles só são eficazes se você for sexualmente estimulado. Eles não agem automaticamente.

Os tratamentos orais podem, de fato, amplificar o sinal enviado pela liberação de óxido nítrico para o cérebro. E assim melhora o seu desempenho sexual, permitindo que você se dobre mais. Mas também mais.

A dosagem varia. Idem para a duração do tratamento e seus efeitos colaterais potenciais. Você pode realmente experimentar ondas de calor, congestão nasal, enxaquecas. Mas também distúrbios da vida, dor nas costas ou distúrbios digestivos.

Seu médico irá considerar sua história para determinar qual droga será mais eficaz. Mas também para ajudá-lo a encontrar a dose certa.

E se você quiser conhecer um estimulante que realmente funciona, conheça um chamado Tauron.

Injeções

Você também pode optar por um tratamento oral para tratar sua ereção macia. Em particular, uma auto-injeção de alprostadil. Ele consistirá em injetar esse ingrediente ativo com uma agulha fina na base ou na lateral do seu sexo. Cada injeção é administrada para criar uma ereção que não exceda uma hora. Como a agulha usada é muito fina, a dor no local da injeção é geralmente menor.

Os efeitos colaterais podem incluir sangramento leve no momento da injeção. Mas também uma ereção

anormalmente longo (ou priapismo). E, mais raramente, a formação de tecido fibroso onde você empurrou a agulha.

Supositórios uretrais

Terapia intra-uretral envolve colocar um pequeno supositório contendo alprostadil dentro do seu pênis. No nível da sua uretra. Você precisará usar um aplicador especial para inserir o supositório.

A ereção deve ocorrer após 10 minutos. E durar entre meia hora e uma hora. Os efeitos colaterais podem se manifestar como dor, sangramento na sua uretra. Mas também formando tecido fibroso dentro do seu pênis.

Conclusão: o que fazer se você tem ereções moles?

Lendo este artigo, você pode ver que um problema de ereção suave não é fatal . E que existem muitas soluções disponíveis, naturais e médicas, para encontrar uma função erétil normal.

A primeira coisa a fazer é tentar entender a causa. Com a ajuda de um médico, se necessário. Primeiro, volte para soluções naturais, seguindo as dicas deste artigo. Que você também pode aplicar preventivamente.

Se o problema persistir, marque uma consulta com seu médico . Embora este passo possa ser difícil. Ele sozinho pode prescrever uma solução adequada. E ajude você a adotar os reflexos certos e a dosagem certa.

De qualquer forma, não mantenha esse problema por si mesmo e tente conversar com seu parceiro sobre isso. Além disso, uma ereção suave não impede que você tenha uma vida sexual. E até mesmo para penetrar seu parceiro.

O sexo para homens é tão importante?

Como qualificar a importância de relacionamentos íntimos para homens? Como o gênero masculino fala sobre sexo? Por que as pessoas dizem que os homens pensam com o pênis e não com o cérebro e, acima de tudo, é verdade?

Olá a todas as senhoras e bem-vindo ao site para entender melhor os homens. Para todos aqueles que ainda não me conhecem, sou treinador de amor e meu nome é Alexandre Cormont. Eu criei uma agência de coaching e vários sites em torno de casos de amor, como sedução, reconquista e namoro. Eu acompanhei milhares de mulheres em coaching personalizado e trabalhei em muitas questões relacionadas ao sexo e o lugar que elas têm para os homens dentro do casal.

É claro que não devemos generalizar porque cada indivíduo tem seu comportamento, mas você descobrirá nesta página o melhor conselho para saber como se comportar na cama com um homem, quais são as fantasias masculinas mais comuns, mas também como você pode desenvolver libido do seu homem para torná-lo completamente “louco”. Costumo repetir que um casal quebra aproximadamente metade da boa comunicação e a outra metade do sexo satisfatório. É realmente o motor do seu relacionamento diário e é por isso que você absolutamente tem que fazer tudo para atender às suas necessidades.

Se você quiser encontrar soluções para seus problemas ou apenas entender melhor o que o sexo significa para os homens, então eu convido você não apenas a ler este artigo na íntegra, mas especialmente a deixar suas perguntas ou depoimentos nos comentários localizados. na parte inferior da página, terei prazer em responder e orientá-lo. Esta é também uma ótima maneira de compartilhar suas experiências e trocar com vocês, senhoras!

Leia mais sobre o estimulante sexual masculino Big Size.

Para uma vida sexual satisfatória você tem que pensar prazer antes do desempenho

A primeira pergunta que posso ler em suas muitas mensagens é “Como se comportar na cama com um homem? “. Eu não acredito que exista uma ciência exata sobre as relações sexuais, assim como em outras áreas da vida amorosa. Não há normalidade sexual porque o que pode parecer incongruente para o seu próximo pode não ser para você e vice-versa. Mas sempre há ferramentas e dicas que podem ajudá-lo a desenvolver seu comportamento na cama com um homem, porque o mais importante é estar no mesmo comprimento de onda que seu parceiro e tomar, mas especialmente para compartilhar o prazer.

Meu primeiro conselho será, portanto, dizer-lhe para sempre procurar osmose, evitando uma fixação na perfeição e “desempenho”. Ao contrário, para aproveitar ao máximo o prazer, é melhor deixar suas intuições assumirem e deixar você ir completamente. Não há nada melhor do que deixar esquecer suas imperfeições ou defeitos físicos e se concentrar no momento presente, aproveitando e certificando-se de que seu homem se sente bem. Nunca esqueça o que dar para receber, e isso também é o caso sexualmente.

Para saber como se comportar na cama com um homem sem colocar muita pressão, é essencialmente necessário sentir uma forte excitação, de modo que não seja apenas fazer amor para dar ou sentir prazer, mas realmente querer um forma de compartilhamento. Portanto, é necessário fazer tudo para excitar seu homem e fazê-lo querer fazer você amar, mas também relaxar seus sentidos.

Causas de alguns problemas sexuais.

Causas

Fatores contextuais e psicológicos podem contribuir para distúrbios do orgasmo. Entre eles estão:

 

relações sexuais que param sistematicamente antes que a mulher atinja o orgasmo (como no caso da ejaculação precoce do homem);

preliminar insuficiente;

Em um ou ambos os parceiros, falta de compreensão do funcionamento dos genitais;

má comunicação sobre sexo (por exemplo, sobre o tipo de estímulo que uma pessoa gosta);

problemas no casal, como conflitos não resolvidos e falta de confiança;

ansiedade sobre o desempenho sexual;

medo de deixar ir, tornar-se vulnerável e não se controlar (o que pode ser parte do medo de não controlar todos os aspectos da vida ou uma tendência geral de manter as emoções ocultas);

experiência física ou emocional traumática e / ou traumática, como abuso sexual;

distúrbios psicológicos (como depressão)

Os distúrbios físicos também contribuem para os distúrbios do orgasmo. Isto diz respeito a danos nos nervos (resultantes de diabetes, lesão medular ou esclerose múltipla) e malformações genitais.

Certos medicamentos, incluindo os inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs, um tipo de antidepressivo, drogas usadas para tratar a depressão ), podem inibir particularmente o orgasmo.

Conheça o melhor blog sobre impotência que conhecemos.

Tratamento

O médico incentiva a mulher a aprender que tipo de carinho lhe dá prazer e a se excitar praticando a autoestimulação (masturbação). Outras técnicas que podem ajudar incluem métodos de relaxamento e exercícios de foco sensíveis. Como parte dos exercícios de foco sensorial, os parceiros, por sua vez, se tocam em formas destinadas a proporcionar prazer ( Transtornos da Excitação Sexual: Tratamento ). Os casais podem tentar mais estímulos, ou em diferentes formas, como um vibrador, fantasias ou filmes eróticos. Usar um vibrador é particularmente útil no caso de uma lesão nervosa.

Fornecer informações sobre a função sexual também ajuda. Em algumas mulheres, a criação de estimulação clitoriana é suficiente.

Terapias psicológicas, como a terapia cognitivo-comportamental e terapia cognitiva baseada na atenção plena (MBCT, tratamento ), pode ajudar as mulheres a identificar e gerenciar seu medo de perder o controle, o medo de ser vulnerável ou outro questões de confiança para com o parceiro. A psicoterapia é um ótimo recurso para mulheres que foram abusadas sexualmente ou que têm distúrbios psicológicos, como o MBCT. A prática da atenção plena (focalizando o que está acontecendo no momento) pode ajudar a mulher a se concentrar nas sensações sexuais sem fazer julgamentos ou monitorar o que está acontecendo.

Se um ISRS estiver envolvido, adicionar bupropiona (diferentes tipos de antidepressivos) pode ajudar. Ou outro antidepressivo pode ser substituído. Tem sido demonstrado que, se a mulher deixa de ter orgasmos enquanto toma SSRIs, o sildenafil permite que ela experimente orgasmos novamente.

Impotência Sexual

Impotência Sexual

VIDA MODERNA
Estresse causa impotência sexual mais cedo nos homens
A vida moderna e o estresse estão causando impotência sexual cada vez mais cedo nos homens, em quase todo o mundo. Este é um dos temas mais discutidos, atualmente, em congressos internacionais, ou seja, a precocidade com que a impotência está atingindo as pessoas. Há alguns anos, os casos de impotência começavam a ser mais frequentes aos 45 anos de idade. Hoje, os problemas já aparecem mais intensamente aos 35.

Uma das principais razões da precocidade da impotência é o estresse. E segundo estudos, 48% dos homens impotentes têm estresse.

A tensão da vida diária diminui substâncias químicas que agem positivamente no organismo, como hormônios, neurotransmissores e sais minerais, o que acaba gerando problemas de saúde desde dores de cabeça, desconfortos musculares, depressão, cansaço físico e sexual, além de doenças glandulares como hipotiroidismo, entre outros.

A falta de substâncias essenciais para o bom funcionamento do corpo, causada pelo estresse, também já está mudando o perfil do homem impotente. Cada vez mais a impotência está tendo causas orgânicas e não psicológicas, como era mais comum.

Antes de tudo, é preciso diagnosticar o que está acontecendo com o corpo do homem para fazer o tratamento adequado. Para diferenciar as causas mistas das orgânicas, é necessário o exame computadorizado em uso pela Universidade de Minnesota e também pelo Núcleo de Sexologia em Curitiba.

Leia também: comprar remédios para ereção

Feito o diagnóstico, o tratamento é clínico e fisioterápico. Existem, porém, formas de prevenir essas alterações de rigidez peniana.

Dosagens de sais minerais assim como de vitaminas podem ser feitas no teste de fio de cabelo. E exercícios evitam a flacidez dos músculos que seguram o pênis no seu ângulo correto. Há exercícios físicos que podem ser feitos para fortalecer a musculatura da região pélvica e, assim, prevenir a impotência.

Alguns destes exercícios consistem em contrair a musculatura situada entre o ânus e a bolsa escrotal, dez vezes ao dia. Além disso, com o pênis ereto, o homem pode exercitá-lo, aproximando-o do abdôme

Ejaculação precoce: como resolver e os melhores tratamentos

Ejaculação precoce: como resolver e os melhores tratamentos

A ejaculação precoce é uma forma de disfunção sexual que pode afetar a qualidade da vida sexual de um homem. É caracterizada quando um orgasmo ou “clímax” ocorre mais cedo do que o desejado.

A ejaculação precoce ocorre quando um homem ejacula mais cedo durante a relação sexual do que ele ou seu parceiro gostariam. A ejaculação precoce é uma queixa sexual comum. Estima-se que 1 em cada 3 homens tenham esse problema em algum momento da sua vida adulta.

Quando se preocupar?
Tempo pode significar absolutamente tudo na cama. Se você está chegando ao clímax mais cedo do que você e sua parceira gostariam, o sexo provavelmente não está sendo satisfatório para nenhum de vocês.

A ejaculação precoce pode ser frustrante, embaraçosa e causar desconforto na relação, muitas vezes prejudicando a saúde do relacionamento.

Disfunção sexual
Enquanto ela acontece com pouca freqüência, não é motivo de preocupação. No entanto, a ejaculação precoce pode ser uma disfunção se você:

Sempre ou quase sempre ejacula dentro de um minuto de penetração;
É incapaz de atrasar a ejaculação durante o ato sexual durante quase todo o tempo;
Sente-se angustiado e frustrado, e tende a evitar a intimidade sexual como resultado.
Fatores psicológicos e biológicos podem desempenhar um papel na ejaculação precoce. Embora muitos homens se sintam envergonhados de falar sobre isso, a ejaculação precoce é uma condição comum e tratável. Medicamentos, psicoterapia e técnicas sexuais que atrasam a ejaculação – ou uma combinação deles – podem ajudar a melhorar o sexo para você e sua parceira.

Sintomas da Ejaculação Precoce
O principal sintoma da ejaculação precoce é a incapacidade de retardar a ejaculação por mais de um minuto após a penetração. No entanto, o problema pode ocorrer em todas as situações sexuais, mesmo durante a masturbação.

A ejaculação precoce pode ser classificada como:

Ao longo da vida (primário). Ejaculação precoce ao longo da vida ocorre todo ou quase todo o tempo começando com seus primeiros encontros sexuais.
Adquirida (secundária). A ejaculação precoce adquirida se desenvolve depois que você teve experiências sexuais anteriores sem problemas ejaculatórios.
Muitos homens sentem que têm sintomas de ejaculação precoce, mas os sintomas não atendem aos critérios diagnósticos para esta disfunção sexual. Em vez disso, esses homens podem ter ejaculação precoce variável natural, que inclui períodos de ejaculação rápida, bem como períodos de ejaculação normal.

Causas
A causa exata da ejaculação precoce não é conhecida. Embora já tenha sido considerado exclusivamente psicológico, os médicos agora sabem que a ejaculação precoce envolve uma complexa interação de fatores psicológicos e biológicos.

Causas psicológicas
Fatores psicológicos que podem desempenhar um papel incluem:

Experiências sexuais precoces;
Relações amorosas mal sucedidas;
Abuso sexual;
Imagem corporal distorcida ou timidez;
Depressão;
Preocupação com a ejaculação precoce;
Medo de engravidar a parceira ou de não satisfazê-la completamente;
Problemas profissionais que possam causar preocupação excessiva;
Sentimentos de culpa que aumentam sua tendência a se apressar em encontros sexuais.
Outros fatores que podem desempenhar um papel incluem:

Disfunção erétil
Homens que estão ansiosos em obter ou manter uma ereção durante a relação sexual podem formar um padrão de pressa para ejacular, o que pode ser difícil de mudar.

Ansiedade
Muitos homens com ejaculação precoce também têm problemas de ansiedade – seja especificamente sobre o desempenho sexual ou relacionados a outras questões.

Problemas de relacionamento
Se você teve relações sexuais satisfatórias com outros parceiros em que a ejaculação precoce ocorreu com pouca frequência ou não, é possível que questões interpessoais entre você e seu parceiro atual estejam contribuindo para o problema.

Causas biológicas
Vários fatores biológicos podem contribuir para a ejaculação precoce, incluindo:

Níveis hormonais anormais;
Níveis anormais de substâncias químicas cerebrais chamadas neurotransmissores;
Inflamação e infecção da próstata ou uretra;
Genética e condições hereditárias;
Diabetes (pacientes com diabetes podem apresentar problema na sua potência sexual)
Fatores de risco
Vários fatores podem aumentar o risco de ejaculação precoce, incluindo:

Disfunção erétil. Você pode estar em risco aumentado de ejaculação precoce, se ocasionalmente ou consistentemente tiver dificuldade em obter ou manter uma ereção. O medo de perder sua ereção pode fazer com que você se apresse consciente ou inconscientemente em encontros sexuais.

Estresse. A tensão emocional ou mental em qualquer área da sua vida pode desempenhar um papel na ejaculação precoce, limitando sua capacidade de relaxar e se concentrar durante os encontros sexuais.

Complicações
A ejaculação precoce pode causar problemas em sua vida pessoal, incluindo:

Problemas de estresse e relacionamento. Uma complicação comum da ejaculação precoce é o estresse no relacionamento, falta de comunicação, brigas e em alguns casos a separação.

Problemas de fertilidade. A ejaculação precoce pode ocasionalmente dificultar a fertilização para casais que estão tentando engravidar se a ejaculação não ocorrer intravaginalmente.

Tratamento
Na maioria dos casos, há uma causa psicológica e o prognóstico é bom. Se o problema ocorre no início de uma nova parceria sexual, as dificuldades geralmente se resolvem à medida que o relacionamento continua.

Se, no entanto, o problema for mais persistente, os médicos podem recomendar aconselhamento de um psicólogo especializado em relações sexuais, terapia sexual ou terapia de casal.

95% dos homens são ajudados por psicoterapia e técnicas comportamentais que ajudam a controlar a ejaculação.

Intervenção medicamentosa
Nenhum medicamento é oficialmente licenciado para o tratamento de ejaculação precoce, mas alguns antidepressivos podem ajudar, uma vez que apresentam o efeito colateral de retardar a ejaculação, porque aumentam a quantidade de serotonina no cérebro.

Um médico provavelmente não prescreverá qualquer medicamento antes de fazer uma anamnese sexual detalhada para chegar a um diagnóstico claro de ejaculação precoce. Tratamentos medicamentosos podem ter efeitos adversos, e os pacientes devem sempre discutir com um médico antes de usar qualquer medicação.

A dapoxetina é usada em muitos países para tratar alguns tipos de ejaculações precoces primárias e secundárias. A dapoxetina é um fármaco que pertence à mesma classe da fluoxetina, sendo considerado um inibidor seletivo da recaptação da serotonina. No entanto, certos critérios devem ser atendidos.

Pode ser usado se:

O sexo vaginal dura menos de 2 minutos antes da ejaculação ocorrer;
A ejaculação persistentemente ou recorrentemente acontece após muito pouco estímulo sexual e antes, durante ou logo após a penetração inicial, e antes que ele deseje chegar ao clímax;
Há acentuada aflição pessoal ou dificuldade interpessoal por causa da disfunção;
Há pouco controle sobre a ejaculação;
A maioria das tentativas de relação sexual nos últimos 6 meses envolveu a ejaculação precoce
Os efeitos colaterais da dapoxetina incluem náusea, diarréia, tontura e dor de cabeça.

Medicamentos tópicos
Algumas alternativas tópicas podem ser aplicadas ao pênis antes do sexo, com ou sem preservativo. Esses cremes anestésicos locais reduzem a estimulação.

Exemplos incluem lidocaína ou prilocaína, que podem melhorar a quantidade de tempo antes da ejaculação.

No entanto, o uso prolongado de anestésicos pode resultar em dormência e perda de ereção. A sensação reduzida criada pelos cremes pode não ser aceitável para o homem, e a dormência também pode afetar a mulher

Exercícios e técnicas complementares
Pare e comece: trabalhe em conjunto com seu parceiro(a). Vocês devem estimular seu pênis até que você sinta que vai ter um orgasmo. Pare a excitação por cerca de 30 segundos ou até que a sensação passe. Comece a estimulação novamente e repita três ou quatro vezes antes de realmente ejacular.

Aperto: Funciona da mesma forma que o método anterior. Mas, quando você sente que está chegando ao orgasmo, você ou seu parceiro apertam a cabeça do seu pênis até perder a ereção. Repita isso algumas vezes antes de ejacular.

Fortaleça os músculos: músculos do assoalho pélvico fracos, por vezes, contribuem para o ejaculação precoce. Exercícios de Kegel podem ajudar a fortalecê-los. Encontre os músculos certos para apertar, parando sua urina no meio do caminho. Segure-os firmemente por 3 segundos e depois solte-os por 3 segundos. Faça isso 10 vezes, pelo menos 3 vezes ao dia.

Use um preservativo: pode reduzir a sensibilidade o suficiente para que você possa durar mais tempo.

Ocupe-se antes de se “ocupar”: alguns homens acham que se masturbar algumas horas antes do sexo os ajuda a permanecer no controle durante o ato sexual.

Leia também: Aumento peniano funciona

Alguns homens acreditam que, se pensarem em outra coisa durante o sexo, podem durar mais tempo.

Como a psicologia pode ajudar?
Se você identificou algum dos sintomas ou causas listadas acima, busque a orientação de um psicólogo ou psiquiatra. Eles podem ajudar você a lidar com problemas como depressão, ansiedade ou estresse que podem estar contribuindo para o seu desempenho sexual.

Se o seu relacionamento é afetado, falar sobre o problema é um primeiro passo importante. Um bom psicólogo ou terapeuta sexual pode ser capaz de ajudar. Agende sua consulta hoje mesmo e leve uma vida sexual feliz e saudável. Afinal, sexo é vida!

COMO AVALIAR UMA DISFUNÇÃO SEXUAL RELACIONADA À IDADE EM HUMANOS?

Os principais fatores biológicos que contribuem para a disfunção sexual nos homens são distúrbios cardiovasculares e metabólicos e problemas urogenitais, especialmente os prostáticos. Psicologicamente, ansiedade de desempenho e depressão são os fatores mais comumente descritos.

A prevalência aproxima-se de 10% em homens com idade entre 40 e 70 anos e aumenta com a idade ou em populações de risco, como diabéticos ou obesos.

Essa síndrome deve ser reconhecida porque está associada a um comprometimento significativo da qualidade de vida e tem muitas conseqüências médicas, incluindo disfunção erétil e diminuição do desejo sexual. Esses distúrbios sexuais também são de particular importância, uma vez que só eles devem tornar a suspeita de SLOH.

Apenas 10% dos homens mais velhos com deficiência de testosterona recebem tratamento.

QUE MANEJO TERAPÊUTICO EM HUMANOS?

Muitas publicações descrevem a introdução do IPDE-5 como uma mudança importante no manejo terapêutico da disfunção erétil, não apenas para o paciente idoso, mas também para o adulto jovem.

Por outro lado, a especificidade da avaliação e do manejo dos distúrbios sexuais no homem idoso reside no fato de uma triagem sistemática de um possível SLOH pela determinação da testosterona total (pela manhã), em disfunção erétil ou diminuição do desejo sexual. Isso deve permitir uma melhor prevenção de distúrbios cardiovasculares e metabólicos, bem como uma possível substituição hormonal na ausência de contraindicações (principalmente vasculares e neoplásicas) e de acordo com a opinião de um especialista. 

Sabe-se que quando uma substituição de testosterona é prescrita, a libido é melhorada na maioria dos pacientes e a ereção em um dos dois pacientes. O efeito terapêutico pode levar até 24 semanas para manifestar e é favorável para a maioria dos sintomas da depressão SLOH excepto para os quais não há evidência suficiente para um efeito direto.

ESTRATÉGIA DE PESQUISA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Os dados utilizados para esta revisão foram identificados por uma pesquisa no Medlineartigos publicados em inglês ou francês desde 1985 no campo da medicina sexual, urologia, andrologia, endocrinologia, ginecologia. Os artigos foram incluídos na lista de referências, se apresentou uma abordagem original para cada seção principal da revista e incidiu sobre os seguintes temas: sexualidade e idade, menopausa, andropausa, disfunção sexual no envelhecimento. As duas principais palavras-chave utilizadas para pesquisa foram: “envelhecimento” e “sexualidade”. Um subconjunto de critérios foi usado simultaneamente com esses dois termos, ele incluiu as seguintes palavras-chave: “função sexual”, “disfunção sexual”, “sexualidade”, “envelhecimento”, “adultos mais velhos”, “meia-idade”, ” homens idosos, homens idosos, homens idosos, mulheres idosas, homens idosos, mulheres idosas, menopausa.

Conheça o melhor estimulante sexual masculino que se chama Forteviron.

DISCUSSÃO E CONCLUSÃO

A avaliação sexological de pacientes e pacientes mais velhos com distúrbios sexuais, e em geral em cada paciente idoso é de grande importância devido a potenciais comorbidades e impacto da disfunção sexual na qualidade de vida. Isto deve permitir detectar quaisquer doenças subjacentes e implementar terapias apropriadas.

SLOH parece ser uma causa comum de disfunção sexual em homens mais velhos. Senta-se sorrateiramente e pode levar a graves consequências para a saúde, como astenia, perda de energia vital, disfunção sexual, resistência à insulina.

diminuição instintiva relacionada com deficiência androgênica em ambos os sexos podem explicar em grande parte a diminuição do interesse sexual, embora em mulheres de outros fatores, psicossocial particular são. Isso muitas vezes cria um círculo vicioso com impacto negativo na auto-estima e na atividade sexual do casal. Nos casos de hipogonadismo e na ausência de contraindicações, incluindo a próstata, o endocrinologista pode prescrever terapia de reposição hormonal para humanos.

Em conclusão, o manejo de transtornos sexuais no idoso deve integrar uma abordagem interdisciplinar para a qual o praticante e o especialista se beneficiam do treinamento em medicina sexual.